topo cmt curva azul2


INSTITUCIONAL

TIJUCAS

COMUNICAÇÃO

LEGISLAÇÃO

Após liberação, pescadores pescam 20 toneladas de tainha em Santa Catarina

Acumulado do final de semana foi suficiente para arcar com custos da safra para alguns pescadores, segundo a entidade que representa o setor artesanal

Depois de muita luta e discussão entre os ministérios da Pesca e do Meio Ambiente, os pescadores conseguiram a liminar da Justiça Federal e puderam sair para o mar neste final de semana ao encontro das tainhas com as redes anilhadas. Somente em Florianópolis, oito toneladas foram capturadas entre sábado e madrugada desta segunda-feira, de acordo com a Federação de Pescadores de Santa Catarina. No total, incluindo praias do Litoral de Santa Catarina, foram 20 mil quilos do peixe que tem a safra até o dia 30 de julho.

Na Praia da Pinheira, em Palhoça, o pescador Aldair da Silveira contou por telefone que foram mais de três toneladas de tainha, em seis embarcações.

— Valeu tanto a pena a nossa luta de sexta-feira, que teve gente aqui que pescou o suficiente para garantir os custos da safra deste ano — disse, que pretende vender o produto a R$ 8,00 o quilo.

Reivindicação continua em Brasília

Os pescadores fizeram uma série de protestos ao longo da última semana, com maior ênfase na sexta, quando foram fechadas ruas e a Avenida Mauro Ramos, no Centro de Florianópolis. O motivo o impasse entre os ministérios da Pesca e Meio Ambiente sobre a rede de cerco ou emalhe.

A liminar foi concedida no mesmo dia, mas garante apenas 10 dias de pesca. Para buscar uma solução e garantir o trabalho até o final da safra, o presidente da Federação de Pescadores de Santa Catarina viajou para Brasília para tentar um acordo.

— Queremos uma reavaliação da portaria que proibe o uso da rede. Mas até sair esta análise, o que deve ocorrer depois do final da safra, queremos que saia uma permissão para os trabalhadores continuarem no mar — disse Ivo.

Mais de três toneladas nos Ingleses

No Norte da Ilha, nos Ingleses, o representante da associação local dos pescadores Odilon de Souza disse que foi pescado também umas três toneladas. Um dos mais atuantes nos protestos da semana passada, o pescador desabafou.

— Ainda bem que saiu a liminar, pois está passando muito peixe ainda. Eu já vi greve de tudo, mas brigar para trabalhar como a gente fez, foi a primeira vez — disse.

Outras praias tiveram bons resultados, segundo a Federação dos Pescadores de Santa Catarina, como a Barra da Lagoa e Armação, na Ilha, e Imbituba, Laguna e Passo de Torres, no Litoral Sul.

Com a previsão de mau tempo para esta terça-feira, a tendência é que os barcos voltem ao mar na próxima quarta-feira.

AddThis Social Bookmark Button

© 2013 | Joomla - v2.5 | Todos os Direitos Reservados |