topo cmt curva azul2


INSTITUCIONAL

TIJUCAS

COMUNICAÇÃO

LEGISLAÇÃO

Agroindústria contabiliza perdas por causa das chuvas em Santa Catarina

Empresas do Oeste tiveram queda na produção do leite e nos abates de frango

Agroindústria contabiliza perdas por causa das chuvas em Santa Catarina Márcio Cunha/Especial

Além de deixar centenas de desabrigados, o excesso de chuva da semana passada prejudicou os negócios da região rural do Oeste catarinense. Somente a Aurora Alimentos teve queda de 5% no recebimento de leite. Isso representa 55 mil litros por dia, já que a empresa industrializa 1,1 milhão de litros diários.

De acordo com o assessor de lácteos da empresa, Selvino Giesel, haverá mais perdas devido às pastagens danificadas, mas ainda não dá para mensurar o total.

— As vacas não se alimentaram direito, houve atraso de coleta e, em alguns locais, não pudemos nem coletar por problemas em pontes.

Na propriedade do agricultor Inácio Leifheit, em São Carlos, a produção de leite caiu de 600 para 300 litros por dia. Ele teve 15 dos 22 hectares alagados e perdeu 60 toneladas de silagem, alimento para quatro meses dos animais. Os oito hectares de pastagem ficaram imprestáveis em virtude da lama e os dois hectares de milho terão que ser replantados.

Em Xanxerê, a estimativa de perdas na produção de leite, em virtude das pastagens danificadas, é de 15% a 20%, segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico e Agricultura, Neimar Brusamarello. O município decretou situação de emergência na quinta-feira. Somente para recuperar os 500 quilômetros de estradas do interior é estimado um investimento de aproximadamente R$ 10 milhões.

Um aviário foi atingido por deslizamento e morreram 4 mil frangos. Na propriedade de Antonio Zianni, integrada à BRF, houve atraso de 36 horas no fornecimento de ração, pois os caminhões atolavam.

Unidade da JBS ficou sem abater frangos

O mesmo aconteceu com o integrado da JBS/Friboi, Osvaldir Perondi, que chegou a ficar quatro dias sem ração.

— Ficaram só à base de água — disse o suinocultor. Dos 2,3 mil suínos, 22 morreram, vítimas do canibalismo entre eles. Além disso, todos os animais eram para ser carregados para a indústria até o início da semana, mas ele só conseguiu carregar 400 suínos.

Em Itapiranga, a unidade da JBS ficou dois dias sem abater frangos. A Aurora também adiou o abate de 60 mil frangos numa unidade arrendada em Miraguaí, pois na semana passada em dois dias não havia passagem de SC para o Rio Grande do Sul.

De acordo com o gerente de Avicultura da Aurora, Luiz Carlos Farias, o maior problema foi de logística.

— Tivemos que alterar abates e carregamentos — afirmou.

Apoio para o replantio

O governador Raimundo Colombo anunciou que vai liberar recursos emergenciais para os municípios custearem os gastos com combustível. Também vai buscar recursos federais em audiência prevista para a próxima quarta-feira, em Brasília, com os ministérios do Planejamento, Cidades e Integração Nacional.

Já a secretaria de Agricultura do Estado prepara ações para auxiliar na recuperação das lavouras.

— Devemos lançar um programa de apoio no replantio das pastagens — adianta o secretário, Airton Spies.

Spies ainda não tem números oficiais sobre as perdas, mas até segunda-feira deve ser concluído um levantamento que está sendo elaborado pelas Secretarias de Desenvolvimento Rural, em parceria com a Epagri.

O secretário adiantou que há perdas também nas lavouras de trigo e em culturas como alho e cebola.

AddThis Social Bookmark Button

© 2013 | Joomla - v2.5 | Todos os Direitos Reservados |