topo cmt curva azul2


INSTITUCIONAL

TIJUCAS

COMUNICAÇÃO

LEGISLAÇÃO

Presidente busca informações sobre situação do Hospital São José

hospital soa joseNa última quinta-feira (18), o presidente da Câmara Municipal de Tijucas, vereador Eder Muraro (DEM) – juntamente com o repórter Sidnei Miranda, da Rádio Vale – conversou com o administrador do Hospital São José e Maternidade Chiquinha Gallotti sobre as dificuldades no atendimento de emergência em Tijucas.

De acordo com o gerente da unidade hospitalar, Vagner Anjos, o pronto-socorro é uma das áreas mais importantes da instituição – recebendo cerca de 2500 pacientes por mês -, mas também é onde existem os maiores problemas. Apesar dos obstáculos, Anjos percebe melhorias na qualidade do atendimento.

“Nós percebemos uma evolução na clínica médica, desde fevereiro de 2014 conseguimos um médico fixo, o que oferece mais segurança”, conta o administrador. Além disso, desde 2013 o hospital vem investindo na educação continuada dos seus 120 funcionários. Outra evolução está na quantidade de médicos-plantonistas, que passou de quatro para uma média de 11 no período de dois anos.

Com o aumento no número de profissionais, a carga horária dos plantonistas também diminuiu, conforme explica Anjos. “Em 2013 tínhamos médicos que faziam até 72 horas de plantão, hoje esse número dificilmente passa de 12 horas”, comenta. A instalação da nova recepção, com a centralização do fluxo de pacientes, também teria contribuído para a melhora do atendimento.

Em relação às cirurgias, segundo o coordenador, o hospital só não realiza mais operações por conta da ausência de um profissional vinculado ao município e que permaneça todos os dias. A intenção também é ampliar as operações na área urológica após a compra de novos equipamentos. “Temos um projeto audacioso de criar um serviço de diagnóstico por imagem (tomografia, ultrassom) na parte mais antiga do hospital”, conta Anjos.

Dificuldades financeiras
Durante a conversa com o presidente da Câmara, o administrador da instituição lembrou que o Hospital São José quase “fechou as portas” no final de 2014. Para manter a unidade aberta foi necessário o esforço conjunto de várias pessoas e entidades. “A obtenção de recursos não se trata de um “problema do hospital”, mas de um problema “nosso” [de toda comunidade] e essa é uma luta diária”, alertou o gestor.

Na sessão do dia 15 de junho, o vereador Sérgio Murilo Cordeiro (PMDB) sugeriu que seja feita uma audiência pública para verificar quais medidas devem ser tomadas para auxiliar a unidade de saúde. Segundo o parlamentar, o momento é propício para buscar verbas junto ao Secretário Estadual de Saúde, João Paulo Kleinubing.

Por Rafael Spricigo, com informações do repórter Sidnei Mirando (Rádio Vale).
Assessoria de Imprensa da CMT

AddThis Social Bookmark Button

© 2013 | Joomla - v2.5 | Todos os Direitos Reservados |