topo cmt curva azul2


INSTITUCIONAL

TIJUCAS

COMUNICAÇÃO

LEGISLAÇÃO

Frente fria chega quarta ao Estado

chuvaO calor intenso vai dar uma trégua nos próximos dias em Santa Catarina. Isso porque uma frente fria vinda do Uruguai vai conseguir furar o bloqueio atmosférico e avançar pelo Estado, enfraquecendo a massa de ar quente e seco que insiste em deixar os termômetros nas alturas. As chuvas mais intensas e persistentes devem começar na noite de quarta-feira, conforme a Epagri/Ciram.

A estiagem que atinge SC iniciou em 26 de janeiro. Desde então, não ocorre chuva de maior abrangência, com benefícios para agricultura e o abastecimento de água. Segundo a meteorologista Gilsânia Cruz, da Epagri/Ciram, o cenário deve permanecer assim até 12 de fevereiro. Para a partir do dia 13, há perspectivas de declínio nas temperaturas. – É preciso lembrar que estamos nos referindo ao verão. Haverá amenização das temperaturas, mas ainda estamos falando em 30°C – destaca a meteorologista. Para quinta-feira são esperados entre 20mm e 40mm de precipitação na região do Oeste ao Planalto e entre 60mm e 130mm no Litoral. Na Grande Florianópolis e no Litoral Sul, essas quantidades podem ser superadas. O clima será mais ameno nesse período. As temperaturas máximas esperadas são de 23°C nas áreas do Planalto Sul e entre 27ºC e 29ºC na maior parte de Santa Catarina.

Hoje e amanhã, porém, a onda de calor continua e há apenas chance de chuva rápida de verão entre a tarde e a noite. As temperaturas passam rapidamente dos 30ºC na maioria das regiões e a sensação térmica pode chegar a 50ºC no Oeste, Litoral e Vale do Itajaí. O índice ultravioleta segue no máximo nesses dias, exigindo muita ingestão de água, uso de protetor solar e de chapéus. O forte calor registrado em Santa Catarina persiste desde a segunda quinzena de janeiro e está sendo considerado histórico para o Estado. Desde 1926, as estações do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) não registravam temperaturas tão altas neste período em Florianópolis, cuja média nas tardes ficou em 30,9ºC. Outras regiões também têm sofrido com o problema, como Indaial, que não sentia tanto calor desde 2010, quando registrou 40,6ºC. A sensação térmica nada mais é do que uma estimativa de temperatura que se aproxima do calor que as pessoas estão sentindo devido à combinação da alta temperatura e da umidade elevada, sendo superior ao que realmente medem os termômetros.

O meteorologista do Grupo RBS Leandro Puchalski explica que, em dias quentes, o corpo humano tem a transpiração (suor) como principal método para regular a temperatura interna com a externa. – O que ocorre é que em dias de alta umidade, a evaporação do suor é mais lenta já que o ar é úmido. Como essa evaporação é essencial para que a gente possa perder calor para poder ter uma sensação de conforto, esses dias são sentidos como abafados – explica Puchalski.

Quando o ar está seco, a umidade relativa fica baixa e tem capacidade maior de armazenar umidade. Então há boa evaporação do suor, que tira mais calor do corpo, proporcionando sensação de conforto. Se o ar estiver úmido, a umidade relativa estará elevada e terá menor capacidade de armazenar umidade. Com isso, terá, também, menor evaporação do suor, que tira menos calor do corpo, causando sensação de abafamento e desconforto

* Diário Catarinense

AddThis Social Bookmark Button

© 2013 | Joomla - v2.5 | Todos os Direitos Reservados |